sábado, 27 de agosto de 2016

Luz entre os galhos

Agora
A rosa
Desliza nas linhas
Pelas quais percorre teus dias
Nas quais registra as fotografias
Do esvoaçar da sua saia
Sobre as quais libera o ar
Quando não está caminhando nas praças
E observando o entardecer
Através
Das copas
Das árvores
A imagem que preenche o teu vazio
Com a sensação de paz

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Serenidade

Buscava o equilíbrio perfeito, o cessar os devaneios e dos passos apressados, a substituição completa do mal por todo e qualquer bem. Vivia a inquietação de pensar que não há o menor sentido em trabalhar para ter dinheiro, ou ter filhos. A vida tem de ser mais do que isso. Insistia em acreditar que haviam comportamentos ideais, um ideal de pessoa completamente ajustada às linhas do seu caderno, totalmente produtiva, dedicada e que fosse capaz de aproveitar ao máximo cada segundo do seu tempo. Acreditava indiretamente na perfeição, na estabilidade constante e, principalmente, que um dia atingiria o grau máximo de satisfação pessoal, de equilíbrio interior; que chegaria a olhar para os lados e falar: é isso; a ter trinta dias sucessivos de paz interior, emoções alegres, concentração com facilidade e ocupação de cada minuto com coisas que gosta. Mas...

[...] Porque por baixo de tudo na sua vida, tem alguma coisa - aquele vão eterno. Aquela desconfiança de que nada vale a pena e você está sozinho [...]. A vida é triste demais, só estar nela... [...]
Fonte: "Como se libertar do seu smartphone", revista Galileu 
A tenuidade dos bons momentos é clara e o que nos resta além desses instantes são todos os demais quando tudo o que temos é a nós mesmo e algumas coisas dispersas no fluido do universo e da existência. A natureza individual, a subjetividade e a nós mesmos completamente nus, com as marcas pessoais cravadas nessa pele que é puramente negra. Esta foto do Luan Felipe expressa bem isso.

S.
Créditos: Luan Felipe

A voz mudou. O som interior não é o mesmo e muitas vezes não corresponde ao tom expressado, mas ainda encontra nas palavras uma certa paz. É o meio através do qual atinge certa sensibilidade.

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Em busca de um grande
talvez
do encontro da voz já dispersa
evaporada nos versos carregados
pelos minutos
enquanto a fumaça alucina
no conforto
de simplesmente
não
saber
dizer
que as notas do tempo estão incoerentes
e da sua boca só sai
as mais bobas mensagens
cujas lembranças, como fumaças
te lembram de ti